Atenção Plena - Parte 1

O que é atenção plena?


Você sabia que existe Mindfulness, Mindful Thinking, Mindful Eating?

Mindfulness: prestar atenção;

Mindful Thinking: direcionar a atenção aos pensamentos;

Mindful Eating: comer com atenção.


Prestar atenção não deve ser uma ação imposta por alguém, mas deve ser ensinado como prestar atenção.

É tão engraçado ter que estudar, compreender, falar sobre um ato natural nosso, e ensinar ou melhor, estimular a manter essa capacidade de prestar atenção no mundo exterior e no nosso mundo interior, não acham?


Mas cá estamos e vamos colaborar revertendo esse cenário!


Bom, começaremos pensando nos dias atuais... Estamos sempre seguindo regras e padrões, recebendo vários estímulos, informações que aparentemente facilitam bossa vida. Óbvio que muitas dessas coisas nos beneficiam, mas também nos distraem. E além da distração, começamos a nos distanciar dos sinais internos, os nossos sentidos, nossas emoções e a nossa capacidade natural de perceber as coisas e nos manter presentes.

A facilidade de hoje nos deixa tão distantes que precisamos de outros recursos para nos lembrar, alertar e orientar sobre o que devemos fazer.


Estamos aqui falando sobre Prestar Atenção, Se Manter Presente.


Um exemplo claro de que se bem estimulados a nossa capacidade melhorará, é refletir sobre o ato de caminhar. Veja, ninguém precisa te relembrar (a menos que esteja fazendo reabilitação) a caminhar. Pelo contrário, quando somos pequenos, querem acelerar o nosso desenvolvimento. Então, estimular a atenção plena deveria ser também um ato mais frequente.

Poucos são aqueles que foram estimulados desde cedo a sentir, a aguçar sua percepção, a prestar atenção a cada detalhe da vida.

Dificilmente paramos para observar nossa respiração, nosso corpo, identificar nossos pensamentos, emoções e sensações. Com a correria do dia tudo isso passa despercebidos.

Por não haver estímulos para sentir plenamente, não temos o hábito de prestar atenção, o que significa dizer que o termo “prestar atenção” mas parece estar ligado a uma obrigação.

O que sabemos hoje é que crianças e jovens estão expostos a níveis de estresse altíssimo.

As informações, excesso de estímulos tecnológicos, cobranças e competições está criando uma sociedade estressada e desequilibrada emocionalmente.

Como resultado, muitos diagnósticos de pessoas com depressão, ansiedade, TDAH, distúrbios alimentares, vícios e outros comportamentos auto-destrutivos.


O que fazer para reverter esta situação?

Podemos oferecer os benefícios de se trabalhar a atenção plena, desde os pequenos até os adultos, contribuindo para virar este jogo, através da educação emocional e da atenção plena.

Pesquisas mostram que uso de diversas práticas como Yoga, meditação, técnicas de relaxamento e atenção plena no combate dos males citados acima, tem contribuído nesta tarefa de levarmos seus benefícios a mais crianças e jovens.


Então vamos entender melhor o que é atenção plena!


O termo atenção plena ou mindfulness, em inglês, se refere a um estado mental caracterizado pela autorregulação da atenção, voltada para o presente. O foco é o presente, o agora, em uma atitude aberta, curiosa e, acima de tudo, tolerante, observando os fenômenos que se manifestam na mente consciente.

Me especializei em Atenção Plena e trabalho estimulando o meu aluno a desenvolver a capacidade de estar presente e consciente do que acontece a sua volta. Me especializar nesta área e em Educação Emocional me trouxe a oportunidade de conhecer melhor o assunto e ajudar pessoas a se conectarem consigo mesmos, observando cada experiência da sua vida, sem julgamentos, momento a momento.

Mais do que nunca, esta é hora de começarmos a estar presentes, vivenciar plenamente cada dia, cada experiência, para que eles possam construir seu futuro com confiança, equilíbrio e felicidade.

Existem muitas práticas voltadas a trabalhar a concentração, a capacidade de relaxar e de autoconhecimento, de se sentir plenamente. Um exemplo disso é o Yoga.


O Yoga e outras filosofias estimulam a atenção plena há muito tempo, mas agora que estas técnicas ficaram mundialmente conhecidas, é mais fácil para que a sociedade entenda os benefícios e as ferramentas. Isto ajuda a deixar claro que podemos ajudá-los a se tornarem pessoas mais conscientes de si e do mundo que as cerca, mais equilibradas, gentis, atentas, focadas, produtivas, saudáveis e acima de tudo felizes.

Assim como os adultos, cada vez mais crianças e jovens estão estressados, cansados e com dificuldade de se concentrar, devido a tantas atividades e cobranças. Cada vez mais nossas crianças passam mais tempo estudando, sendo preparadas e cobradas do que se divertindo, brincando, fazendo atividades relaxantes. O estresse na infância pode levar a mudanças permanentes na estrutura e função do cérebro, aumentando a probabilidade de distúrbios como dificuldades de aprendizagem, problemas de memória e doenças crônicas na vida adulta.


Não pode ser normal, comum e aceitável que crianças e jovens tenham insônia, problemas graves de concentração, ou até pior, que sofram de tristeza crônica e depressão. Mas é o que está sendo comprovado dia após dia, em estudos e pesquisas cientificas. Toda essa perturbação na vida dessas pessoas afeta o desempenho produtivo, acadêmico, vida social, relacionamentos, ou seja, os afeta a todos que estão a seu redor, inclusive nos mesmos.

As práticas de atenção plena, meditação, yoga, relaxamento, esporte e outras atividades, permitem o relaxame


nto e melhora a concentrar no momento presente e, através destas práticas tem-se maior controle sobre suas emoções, sensações e tenham mais auto-controle. Resultado: Qualidade de vida, equilíbrio, autoconhecimento, melhora no aprendizado, descobrem suas potencialidades e vivem com mais plenitude.


Ahhh... Falando em Yoga, os ensinamentos e práticas trabalha a atenção plena! Muitos métodos se baseiam no Yoga e em muitas filosofias orientais.


Quer conhecer mais sobre Atenção Plena, Meditação e Yoga?




Então não deixe de acompanhar os próximo posts!!!

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 – Primeiramente, sentada numa posição com as pernas cruzadas e as costas eretas, faça seu momento de silêncio, refletindo sobre os seus dias, seu propósito, sua jornada. Coloque suas intensões de pr